domingo, 28 de junho de 2015

vazio

E sobra sempre uma tensão, 
um receio do desconhecido, 
um pavor do vazio.


(Foto: poço iniciático,
Quinta da Regaleira,
Sintra)

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Não-Palavras

Sopa,
zurrapa
numa malga desdendata
mal cheia de palavras.
Espalho-as,
nao voltam,
mas retornam
enfunadas na 
desgraça de um
texto rude,
traiçoeiro, até.
É na malga
que as caldeio,
ganga informe as quereria;
no fim do túnel
surgem atabalhoadas,
cavalgando a secura informe,
carcaças inteiriças,
crestando o verbo.

Voem!
Voem no Suão que
vos não traga,
na onda impante
que vos submirja 
em memórias já
esgotadas.


segunda-feira, 8 de junho de 2015

palavra

Foi no degrau lascado
do esquecimento
que te reencontrei,
palavra fugidia.
Estavas assim,
trocista,
curvada sobre o sonho.
Ias, talvez,
embarcar,
no progressivo
desvanecer 
de um 
cada vez mais distante
porto.
(...)
e eu que precisava tanto de ti,
minha querida palavra...

("Quando partires,
cuida em levares 
as tuas palavras.
Não te sejam precisas
essas moedas de troca,
esses tesouros que só 
a ti te pertencem."
Fala de Cícero 
a Paulus, seu mensageiro)


(Fonte da imagem: n/a)