terça-feira, 30 de novembro de 2010

K

queda XIII

Do meu punho não escorrem palavras,
secou-se-me o pranto,
a vingança que se esbate na noite.
Busco o texto,
a afirmação;
apenas letras de jornais,
efémeras,
embrulham-me os gestos secos,
glaciais.
Caminho numa busca insana,
em trejeitos disformes,
sei que a minha sombra já nem me acossa.
Procuro o destilado impuro,
longe, muito longe,
de um qualquer ponto de ebulição,
a ciência das letras desvaneceu-se
num suspiro ázimo.
Não há qualquer demanda,
nem o sorriso da cínica esperança,
nem uma palmada nas costas,
amontoado de uma vaidade balofa.

Os meus passos seguem os caminhos da chuva,
de ventos que, na esperança da descoberta,
me agarrem e me deixem
no universo, no limbo
da orgástica frase...
(fonte da imagem:

Etiquetas:

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

K

triunfo II

Vai caindo o ocaso,
lento, suave;
nos meus sonhos
há uma floresta de acasos;
lasco a pedra,
sinal raro de uma luta que não travo;
sonho, talvez com o tempo,
em que erguerei o punho,
quase aberto, 
para os horrores dos animais,
dos homens quase mestres
do estancar de proezas;

Então o sonho mergulhará
na minha fronte,
e ficarei solto,
entre ventos de agora,
em vales de poeiras douradas (...)
(fonte da imagem:
http://spedeus.blogspot.com/)

Etiquetas:

terça-feira, 23 de novembro de 2010

K

triunfo

Já soava a madrugada,
entre suspiros é certo,
e tudo era uma imensidade de gotas
esvaindo-se sobre a campa
dos esquecidos;
a paz fora breve,
entre suspiros é certo,
num alvorecer confiante,
tão puro no seu rir;
então acreditou-se:
houve mesas de alegria,
campanários refulgentes,
pinotes, risadas,
entre suspiros é certo,
mas numa crença;
fugiram, então, os caminhos,
já nada era de ninguém:
as braçadas de pão,
as toalhas da fé e do conduto
voaram pró esconjuro,
mas,
entre suspiros é certo,
haverá Um 

(um só)

que, empunhando a madrugada,
e o furor do tempo e do riso,
nos trará de volta
as mesas de alegria,
os campanários refulgentes,
os pinotes, as risadas,
as braçadas de pão
e as toalhas da fé e do conduto!

(fonte da imagem:

Etiquetas:

terça-feira, 9 de novembro de 2010

K

passagem

Aceito o passo,
a calma planura;
o adormecer das folhas,
o deslizar, cambaleando,
na virtude de um Outono 
tímido;
a cacimba que não cai,
as estrofes que, suaves,
não emergem;
os troncos, pintados de musgo,
os líquenes,
levam os ramos,
os silvos quebrados
entre os ramos;
há, ainda, trilhos amenos,
mimos feitos de rendições,
tão langorosos
que este andamento aceite,
(de modo tácito),
vai colorindo a simples,
a clara mescla
dos farrapos de um Inverno
ainda sonhado, num rito*
*[de passagem]






(fonte da imagem:
http://samuel-cantigueiro.blogspot.com)

Etiquetas: ,

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

K

umbrais

Sobre a tua fonte,
as folhas laranja amortecidas
serão restos de merendas,
caminhos de renda solar,
cascas de lembranças
despojadas a um canto.

Na tua fonte,
estão imersas as folhas laranja;
e os sonhos,
apátridas, é certo,
despejam-se
como píxeis em cascatas raivosas,
ribombando fagulhas
no triunfo de um Outono
galgando, arquejante
os umbrais do teu olhar!

(fonte da imagem:
http://www.naruto-pt.com)

Etiquetas: ,

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
tag -->